O PRAZER DE ESTAR EM ILHÉUS

 

Enquanto aguardo a chegada do mês de junho, quando farei nova viagem, postarei sobre a viagem que fiz entre 17 e 24 de agosto do ano passado (2015), com uma grande amiga, a Ilhéus, na Bahia.

Para quem sai de São Luis, como eu, é preciso uma vontade realmente de fazer turismo, considerando-se os inconvenientes causados por nossa malha aeroviária. As passagens foram pagas com pontos da Multiplus, tendo custado em dinheiro apenas R$ 43,99 referente à Taxa de embarque.

O aeroporto é bastante acanhado e desconfortável, apesar do grande movimento que presenciamos, com vôos da TAM, Avianca, GOL, e Azul, diários, pelo menos.

Desta forma, o primeiro dia se destina apenas ao deslocamento e eventual descanso, pois a viagem é realmente cansativa. Saindo de São Luis, às 2.43 h, como abaixo:

A ida, de São Luis a Ilhéus, começa assim:

São Luis a Brasília, de madrugada, 3.20 h de vôo,

Brasília ao Rio de Janeiro, 1.50 h,

Rio de Janeiro a Congonhas, SP, mais 1.00h e, finalmente, de

Congonhas (SP) a Ilhéus(BA), em 2,00h, totalizando o absurdo de 8.10h para chegar a uma cidade que está a 1.480 km de distancia da origem. A chegada ao Aeroporto Jorge Amado aconteceu às 15.30 h.

Mas afirmo que, se a vontade for superior ao desânimo causado pelos deslocamentos, a viagem mais que vale à pena. Ilhéus é uma pequena cidade grande, com vantagens das pequenas e problemas das grandes, mas que acolhe e recebe os turistas com prazer. Sem falar nas belezas e nas histórias, contidas em suas ruelas e esquinas.

Hospedei-me no HOTEL ALDEIA DA PRAIA (www.aldeiadapraia.com.br – 73-3234-8000), com diárias do Clube Montreal. Está localizado na Rod. Ilhéus Olivença, S/N – Km 2,5, e para se chegar à praia (dos Milionários) , basta atravessar a Rodovia, de moderado movimento (nos dias em que lá estive). O hotel é bastante confortável, e apesar de estar em obras no período, nossa estada foi confortável. No café da manhã servido no hotel, contamos com a presença ilustre de diversos pássaros e de uma família de soins.

22    16    15        VISITANTE MATIONAL - PIPIRA AZUL 5  VISITANTE MATIONAL - PIPIRA AZUL 2    VISITANTE MATIONAL - PARDAL 2  TIÊ-SANGUE    PIPIRA PARDA  17  19

18

BROTOS DE PALMEIRINHA IMPERIAL

No tocante a hospedagem, existem dezenas de bons hotéis e pousadas, das quais faço questão de exaltar uma, Marinas Pousada (www.marinaspousada.com.br – (73 3632-2200), Rod. Ilhéus Olivença, km 2, uma pousada campestre com  29 quartos, que não fica a dever a nenhum dos hotéis locais, até pelo aconchego garantido pelo meu amigo Fávero, hoje empresário de sucesso em vários ramos, colega aposentado do Banco do Brasil, que transformou sua antiga moradia nesta delícia de Pousada, a 50 metros da praia dos Milionários, onde se chega sem sequer atravessar rua.CONTEMPLAÇÃO

Quem vai a Ilhéus obviamente quer praias, entre tantas outras atrações.  Vale destacar as urbanas, como Praia da Avenida, Praia do Cristo, do Malhado, do Marciano, da Barra, todas próximo ao centro da cidade, com a possibilidade de acesso sem carro, se for o caso.

Pesca   TURISTANTE

Mais distantes, mas bem localizadas e mais atraentes, teremos as praias do Sul, a 3 ou 4 km do centro, a dos Milionários, por volta de 9 ou 10 km.

Apesar de termos dedicado muito mais tempo a Ilhéus, visitamos outras localidades bem próximas, como Olivença,   entre 15 a 20 km de distância em uma ótima estrada. Em todo o percurso de ida, à esquerda os coqueiros emolduram praias quase sempre desertas mas de fácil acesso, das quais destaco as Praia de Cururupe e a chamada Praia de Olivença.

Finalizando sobre Olivença, duas praias são muito procuradas: a do Backdoor, preferida pelos surfistas por suas características e a de Batuba, a principal e preferida pela polução local.

Do lado totalmente contrário, visitamos mais demoradamente a cidade de Itacaré, a 73 km de uma estrada conservada mas com muitas curvas, necessitando de mais cuidados, embora com vários locais para paradas e fotografias.

Por mais ou menos 65 km trafegamos por uma estrada muito bem conservada, conhecida como Estrada Parque da Serra, margeada por cachoeiras, praias desertas, ou semi desertas, mas super interessantes, como a de Jeribucaçu,  mirantes e por unidades de conservação, a destacar o Parque Estadual do Conduru, Lagoa Encantada e Serra Grande, todas bastante interessantes.

Mais ou menos a meio caminho (km 28 – telefone 73- 3231-5444), do lado esquerdo na direção de Itacaré, encontramos uma surpresa. Em meio a uma vegetação muito bem cuidada, com pequenos lagos e cursos d’água arranjados, esta plantada a Casa das Empadas, que como  o nome diz, serve deliciosas empadas dos mais diversos sabores.FLOR DE LÓTUS-

FLOR DE LÓTUS

Acanhada, quase que espremida entre morros e o mar, chegamos a Itacaré, e após breve passeio pela cidade, instalamo-nos em um restaurante (ou Barraca) na praia das Conchas, chamado Manga Rosa, onde almoçamos um camarão ao leite de coco da praia, servido dentro co coco verde. Uma delícia, realmente. Outros que recomendamos, embora instalados na areia como este, mas com certo conforto e qualidade, são o Mar e Mel e o Alamaim. Todos dispõem de estacionamento nos fundos e de redes armadas nos coqueiros que os emoldura.

FAROL QUADRADO
FAROL QUADRADO
ITACARÉ
COROINHA
PÓNTAL - ITACARÉ_
PONTA DO XARÉU
MARÉ ALTA - CONCHA - ITACARÉ
PRAIA DAS CONCHAS  

Das praias de Itacaré, temos que falar das urbanas, Coroinha e Concha, além do Farol a do Pontal, e as afastadas, mas de fácil acesso, após o costão que claramente divide o litoral, como as de Resende, Tiririca, Costa, Ribeira e Siriaco.

Em frente à praia das Conchas, está localizado o  Farol quadrado, tido como identidade marítima da Bahia. Na enseada formada pela “concha”, é bastante comum a prática de stand-up e caiaques.7

A volta a Ilhéus se deu no mesmo dia, claro ainda e findou nas águas mansa da piscina do Hotel.

Não se pode ir a Ilhéus sem conhecer o Centro da Cidade, andar pelas mesmas rua por onde tantos personagens famosos passearam e sofreram. Não há como deixar de conhecer a Igreja de São Jorge, o templo de São Sebastião, o Bar Vesúvio, tão cantado em Gabriela Cravo e Canela (cuidado com os preços) e o então cabaré Bataclan, agora um Centro Cultural.

Especial o Acarajé da Irene, pelo preço e pelo sabor, na Av. Soares Lopes, Pça Castro Alves, no Centro, como muito boas as barracas Armação, Cabana do Farol, Gabriela (esta a nossa preferida), cabana do Papai, do Farol, do Nacib e várias outras, sempre com, cerveja gelada e comidas de qualidade e a preço justo.

Vale destacar também, a emergência que tivemos, devido a alguma das comidas ingeridas que, muito fortes e bem temperadas, nos causou problemas intestinais, tratados no Hospital São José (Vitória, 113, Centro – Ilhéus – BA, Tel: (73) 3231-1015), onde recebemos um atendimento de primeira.

Também são passíveis de visitação, para degustação e compras, algumas fazendas produtoras de cacau, muito bem tratadas e instaladas, aptas ao turismo, como a Fábrica de Chocolate Artesanal – Rodovia Ilhéus-Uruçuca, Km 2,5 e  a Fazenda Primavera-Estrada Ilhéus – Itabuna, km 20.

Não conhecemos, por falta de tempo, mas muito bem indicados pelos locais:

  • Parque Aquático Tororomba

-Aldeia Índios Tupinambás,

-Lagoa Encantada

-APA da Lagoa Encantada e Rio Almada.

Infelizmente, o tempo acaba e a viagem finda.  No aeroporto acanhado, vários vôos a cada dia, muito movimento (merecia um maior) e muitas coisa pra se comprar no local.

E começamos a pagar o castigo da volta:

Ilhéus (BA) a Congonhas (SP) em 2.20 h de vôo,

Congonhas (SP) a Brasília (DF) em 1,50 e ainda, de

Brasília (DF) a São Luis, em mais 2.20 h, em um total de 6.30h, com a chegada em São Luis às 02.15 do dia 25/08.

Um verdadeiro castigo de 3.740 km para um percurso de apenas 1.482 km.

Enfim, pouco, frente ao prazer de estar em ILHÉUS.

VOLTO SIM!

                        9                         5

Solonel Jr.

Amante de fotografia, sangue cigano, inquieto por natureza, bancário por profissão, aposentado por sorte, jornalista por desaforo (registro nr 1.528/MA), turistante por vontade. Sou eu.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: