JERIQUAQUARA

Dia dos pais 2016

A sede do Município é Jijoca de Jericoacoara. A origem da palavra Jijoca é indígena e significa a junção dos nomes de um casal de índios, o Ji e a Joca, que chefiavam uma tribo que habitava a região. Quem nasce ali é um JIJOQUENSE.

Já o turismo está concentrado em uma vila, denominada Jericoacoara, ou Jeriquaquara. A origem do nome traz versões diferentes, a depender da etnia que é considerada. A versão tupi faz menção a “y urucua” (tartaruga) com “cuara” (buraco, refúgio), referindo-se às tartarugas que foram abundantes na região e que ainda desovam por lá.

Outra versão faz menção a um “ajeru”(ave, papagaio), com “guá”(variado e “coara” (buraco) ou também “ide jeru” (papagaio, ave), cuá (várzea) e “cuara” (buraco).

Uma terceira diz que significa “jacaré tomando sol”, ou seja, jacaré que quara (não confundir com “cuara” – buraco).

Mas, qualquer que seja a denominação adotada, o que interessa mesmo é que fiz este passeio maravilhoso na companhia dos dois filhos e suas respectivas esposa e namorada, passando uma semana bastante agradável no principal vilarejo ou distrito de Jijoca de Jericoacoara, a própria Vila de Jericoacoara.

Saindo de São Luis na direção de Barreirinhas, de onde agora se alcança a cidade de Paulino Neves por uma estrada recém construída, ainda de piçarra, muito bem feita e confortável apesar da poeira, que estava sendo amenizada por caminhões pipa. Trata-se do fruto de uma PPP, que ali está construindo uma usina eólica.

De Paulino Neves chega-se, já no asfalto a Tutóia, com uma economia de aproximadamente 200 km em comparação ao caminho normal para o Ceará, que seria por Chapadinha. Em suma, a estrada está muito boa, transitável inclusive por carros pequenos.

Após Tutóia chega-se ao Piauí, passando por Parnaíba, Luis Corrêia (se quiser), Barra grande, Cajueiro da Praia e enfim, o Ceará, margeando as cidades de Camocim e Granja, na direção de Jijoca. Distante de São Luis, por este novo roteiro, algo em torno de 600 km, fica a apenas 300 de Fortaleza, por estrada de excelente qualidade.

Até aqui tudo é asfalto de boa qualidade. Em Jijoca, um pequeno trecho de calçamento de pedras bem feito e confortável, adentrando o Parque Nacional de Jericoacoara, por 23 km, em sua maioria de terra, fina e solta. Atentar que fui no verão, seco, sem chuva. Mas, a despeito de em sua grande maioria, os carros serem traçados, 4×4, havia na cidade vários carros pequenos, cuja técnica de diminuir substancialmente a calibragem dos pneus facilita e até possibilita chegar na Vila, desde que por determinadas trilhas. E para isso, é extremamente necessária a contratação de um guia, ao preço de R$ 50,00.

Chegando em Jericoacoara os carros são direcionados para um estacionamento imenso, pago (R$ 10,00 a diária), visto ser proibido o transito de veículos na cidade, exceto de moradores, bugres e pick-ups destinados a passeios. Os turistas seguem de carro até o local de hospedagem, desembarcam as bagagens e retornam ao estacionamento, tendo então à disposição transporte para condução de volta ao local escolhido. Durante a sua estada, a mesma coisa funciona no sentido contrário. Basta telefonar para o estacionamento (88-99811-6627, 99635-5302 ou 988848302) e solicitar condução até seu carro.

Não há calçamento na Vila, apenas areia, branca, solta e ao sabor dos ventos. Daí a dificuldade em andar, exercício bastante pesado. Além de uma praia bastante agradável e de diversas ruas menores, o lugar conta com quatro ruas principais: São Francisco, Principal, do Forró e da Matriz, onde estão concentrados os restaurantes, bares e lojas diversas. Ao cair da noite, aumenta o movimento, tornando o lugar bastante agradável para não se fazer absolutamente nada. Ver, apenas. Importante registrar que na vila não existem postes. A iluminação das ruas é das casas, que na frente todas trazem uma lâmpada que serve para a rua. Fácil imaginar a beleza das noites de lua cheia.

As praias são basicamente três: a Principal, em frente às ruas São Francisco, Principal e do Forró, a Malhada, logo na sequência, e mais distante, a do Preá, onde está a Pedra Furada, a uns 2 km.

São vários os lugares onde comer. De comida sofisticada ao do dia a dia, caseira, feijão com arroz. Bistrô Caiçara, Pousada Capitao Thomaz, Color Churros, Freddyssimo, Na Casa Dela, Dona Amélia, Restaurante do Bigode, Cantinho da Pizza, Restaurante Do Sapão, Dogão Burguer, Jerimum e outros. Os preços são bastante accessíveis, variando de R$ 25,00 a refeição pra uma pessoa a R$ 84,00 a lagosta pra três pessoas.

Quanto à hospedagem, não apresenta dificuldades, exigindo apenas uma certa antecedência. Existem bons hotéis e pousadas, com preços que variam de R$ R$ 234,00 (Pousada Capitão Thomaz, na Av. Beira Mar- 202, 88-99926-0039, www.capitaothomaz.com.br ), R$ 394,00 (Hotel Jeri, na Rua das Dunas, 77, 85- 4042-1177, www.hoteljeri.com.br) até R$ 1.395,00 (Essenza Hotel, também na av. Beira Mar. 88-99989-0040, www.essenzahotel.com.br) Por outro lado, é possível alugar um apartamento de duas suítes com três camas de casal, cozinha equipada (fogão, geladeira, utensílios etc. todo o teto como varanda e sala aberta, por R$ 360,00 com capacidade para até 6 pessoas, pelo site https://www.airbnb.com.br/.

Os passeios são diversos, tanto de pick-ups Hilux, de antigas D20 e D10 bastante conservadas e bugres, também em ótimo estado de conservação, quanto de quadriciclos. Encontramos algumas SW4 em trilhas, seja na direção da Lagoa da Maravilha, seja na direção de Tatajuba, um lugar bastante interessante pra conhecer, com dunas elevadas, mangues e lagoas.

Outro aspecto interessantíssimo, é a temperatura média do lugar, algo entre 21 e 34 graus.

Como se não bastasse tanta beleza para se distrair, existem vários instrutores de esportes ligados ao vento, abundante na região, tais como, WindSurf, Stand Up Paddle e Caiaque.

Importante observar:

1 – os preços dos passeios sempre podem ser discutidos e negociados;

2 – quem vem de Fortaleza, conta com vários transfers, que cobram em média R$ 400,00. No entanto, estes preços podem ser      negociados quanto à volta, utilizando-se da modalidade compartilhada (5 no máximo) ao custo de R$ 100,00 por pessoa.

Algumas Agências de Turismo podem tratar disso: Jeri Férias, (Beco do Forró, S/N – 88-99689-6232), JL Tour (Rua Principal   S/N, 88-99930 9771/98851 9153, http://www.jltour4x4.com.br/) e várias outras.

3 – De Fortaleza parte diariamente, às 8:00 (Aeroporto) / 8:30 (Rodoviária) / 9:00 (Beira-Mar) e às 16:00 (Aeroporto) / 16:30 (   Rodoviária) / 17:00 (Beira-Mar), ônibus confortável em direção a Jericoacoara. O inconveniente é que a viagem dura não menos  que 6 horas.

4 – passeios imperdíveis:

            Pôr do sol na duna: Vale a pena a eventual dificuldade em subir a duna, pois o sol se esconde no mar, proporcionando um  espetáculo fantástico;
Pedra Furada: Cartão postal da Região Rochosa de Jericoacoara, o monumento é uma grande formação rochosa em forma de  arco, esculpida pelas ondas do mar. Entre os dias 15 de julho a 15 de agosto é possível observar um espetáculo à parte: o sol,  ao  se pôr, encaixa-se no buraco da pedra;

Lagoas Azul e do Paraíso: Águas transparentes com várias tonalidades de azul e verde permitem que o banhista observe o fundo. A lagoa do Paraíso também é conhecida como Lagoa de Jijoca. Redes armadas dentro da água propiciam um prazer  inenarrável aos turistas;

Nova Tatajuba: Pequena vila de pescadores a 33 quilômetros de Jeri. O passeio de buggy é feito através das dunas e manguezais. Uma antiga vila que existia ali acabou sendo soterrada pela areia.

Em resumo, um lugar em que, por diversos motivos, eu voltarei, com certeza. Foi meu melhor dia dos pais.

5

12

13

14

18

21

22

24

25

26

28

37

39

48

52

59 159-39

159-38

159-37

159-35

159-34

159-33 159-32

159-31

159-30

159-29

159-28

159-27

159-26

159-25

159-24

159-23

159-22

159-21

159-20

159-19

159-18

159-16

159-15

159-14

159-13

159-12

159-11

159-10

159-8

159-7

159-9

159-6

159-5 159-2

Solonel Jr.

Amante de fotografia, sangue cigano, inquieto por natureza, bancário por profissão, aposentado por sorte, jornalista por desaforo (registro nr 1.528/MA), turistante por vontade. Sou eu.

3 comentários em “JERIQUAQUARA

  • 29/08/2016 em 8:36 AM
    Permalink

    Jeri é um paraíso! Já tive o prazer de conhecer e fiquei apaixonado.
    O cearense é um povo hospitaleiro e sabe como ninguém promover o turismo de sua região.
    O texto acima descreve com muita riqueza de detalhes, o que é esta maravilha de lugar!

    Resposta
  • 28/10/2016 em 9:56 PM
    Permalink

    O Brasil, Paul,o, está cheio de lugares deslumbrantes ainda pouco conhecidos. Muitos bem estruturados, outros nem tantos, mas todos muito bonitos. Vamos tentar divulgar ao máximo e dentro de nossas possibilidades. Um abraço.

    Resposta
  • 09/07/2017 em 9:47 PM
    Permalink

    Muito interessantes suas dicas de Jeri, estarei indo no final de julho para lá e vou aproveitá-las com certeza. Muito bom saber que poderei ver o sol se pondo encaixado no meio da pedra! Adorando tudo isso e darei um retorno na minha volta

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: